fbpx

Resumo da semana no mercado financeiro – 27 a 30/abril de 2020

B3: A bolsa brasileira recuperou a queda da semana anterior provocada principalmente pelo estresse da saída de Sérgio Moro do Ministério da Justiça e retomou os 80 mil pontos, fechando a quinta-feira aos 80.505,89. Embora na quinta-feira tenha havido uma queda de 3,20%, o acumulado da semana foi de alta de 6,87%. No mês de abril, a alta do Ibovespa foi de 10,25%, fazendo com que a queda acumulada no ano recuasse para -30,39%. Algumas ações que se destacaram na semana em termos de alta foram a Via Varejo (VVAR3), que subiu 43,89%, a Cia. Siderúrgica Naciona (CSNA3), com alta de 26,55%, a Cia. Aérea Azul (AZUL4), com alta de 24,37%, e o frigorífico Marfrig (MRFG3), que subiu 22,87%. Os quatro grandes bancos com ações na bolsa subiram, com destaque para o Banco do Brasil (BBAS3), com alta de 17,28%. Entre as maiores empresas da bolsa, a Petrobras (PETR4) subiu 13,17% e a Vale (VALE3) teve alta de 2,51%. Embora em menor patamar, a volatilidade da bolsa segue em curso e novos solavancos ainda podem ocorrer conforme os números relativos ao Covid-19 forem sendo divulgados. Espanha e Itália parecem ter revertido a proliferação da pandemia, mas Brasil e Estados Unidos seguem com aumento no número de mortes, adiando a possibilidade de retomada de crescimento da economia.

Dólar: A moeda norte-americana fechou a semana cotada a R$5,4380 na venda, registrando uma baixa de 2,76% na semana. O Banco Central brasileiro continuou ofertando dólares no mercado, mas o real segue como a moeda mais afetada pela crise entre os países do G20. No mês, alta do dólar foi de 4,69% e, no ano, de 35,51%.

Focus, PIB, inflação: No último relatório Focus divulgado pelo Banco Central em 24/04/2020, a expectativa do mercado para o final de 2020 é de inflação a 2,20% ao ano, PIB de -3,34%, SELIC de 3% e câmbio de R$4,80. Há um mês, essas expetativas eram de 2,94% para inflação, -0,48% para o PIB, 3,50% para a SELIC e R$4,50 para o câmbio. Nota-se a piora dos indicadores com o avanço da crise econômica provocada pela pandemia. Ao mesmo tempo, a expectativa de investimentos diretos no país caem fortemente, enquanto a dívida pública aumenta (veja nos gráficos). O banco suíço UBS divulgou previsão de queda do PIB brasileiro segundo 3 cenários: no primeiro, as restrições de distanciamento social permanecem até meados de maio, com normalização até o fim de junho e o PIB recua 5,5%. No segundo, as restrições começam a ser retiradas no final de junho, com normalização em agosto e o PIB cai 7,2%. No último cenário, a pandemia não é controlada até o final do ano e o PIB cai 10,1%. Adicionalmente, a Moody’s prevê queda de 5,2% no PIB do Brasil e a S&P Ratings aposta em -4,6%.

Resultados do 1º trimestre: Começa a temporada de divulgação dos resultados das empresas referentes ao 1T19. Esta semana a Weg SA, fabricante de motores e tintas industriais, divulgou relatório registrando lucro líquido de R$454 milhões, com alta de 47,3% em relação mesmo trimestre do ano anterior. Seu EBITDA apontou aumento de 56,5% na mesma comparação e a receita líquida aumentou 26,7% no período. Na primeira semana de maio serão divulgados os resultados de Banco do Brasil, Itaú, CSN, Gerdau, Lojas Americanas, Ambev, B2W, entre outras.

Covid19: A pandemia avança no Brasil apesar da tentativa de isolamento social. Neste boletim, trago alguns gráficos que buscam mostrar uma interpretação diferenciada. Entendo que não adianta olharmos para gráficos que trazem o total de infectados e o total de mortes, pois, sendo grandezas acumulativas, esse gráfico será crescente até que a pandemia acabe e os contágios reduzam-se a zero, assim como as mortes. Por isso, elaborei um gráfico de novos casos por dia e outro de mortes por dia. Neles, coloquei duas médias móveis, uma curta (de 5 dias, em vermelho) e outra longa (de 10 dias, em verde). Essas médias móveis são comuns na análise de preços de ações e aqui eu as adaptei para estudar o avanço da pandemia no Brasil. Nota-se, em ambos os gráficos, que a média curta está acima da média longa, o que significa que os novos casos e as mortes diárias estão aumentando. Só teremos um sinal de arrefecimento da pandemia quando a média curta cruzar a média longa de cima para baixo, ou seja, quando a linha vermelha cruzar a linha verde de cima para baixo. Observe que é possível notar uma curva na extremidade da linha vermelha, que tende a se aproximar da linha verde. Quando houver um cruzamento consistente, teremos um sinal claro de arrefecimento da pandemia em nosso país. Vou atualizar esses gráficos aos longo da próxima semana! Em ambos os gráficos, a linha tracejada indica os novos casos/mortes por dia em termos absolutos e os dados são de www.wordometers.info.

Gráficos da semana: Covid19 BR – novos infectados (médias móveis). Covid19 – mortes por dia (médias móveis). Inflação em 12 meses (fonte: BCB). Investimento direto no país e dívida do setor público, em ambos os gráficos a linha azul refere-se ao ano de 2020 (Fonte: BCB).

decor

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.