fbpx
quarta-feira , 3 de junho de 2020

Resumo da semana: 06 a 10/01/2018

Ibovespa: O Ibovespa teve 6 quedas seguidas. Após começar o ano com um alta de 2,53% no dia 02/01, ele foi aos poucos devolvendo essa alta em seis pregões de queda. Nesta semana, o índice teve uma queda acumulada de 1,87%. Desde o início do ano, o resultado acumulado é de -0,12%. Em alguns pregões, como no desta sexta-feira, o mercado começa em alta, otimista, mas ao longo do dia vai perdendo o entusiasmo e o resultado no fechamento é uma queda. Nesta sexta-feira, a queda foi de -0,38%, fechando a 115.503,42 pontos.

B3:A B3 divulgou que a base de investidores pessoas físicas passou de 813,3 mil CPFs registrados para 1,678 milhão em 2019. Desses últimos, 670 mil estão no estado de São Paulo e 201 mil estão no estado do Rio de Janeiro, compondo os dois estados com maior número de investidores cadastrados. O número de mulheres cresceu relativamente ao ano anterior, passando de 22% para 23% do total.  Adicionalmente, a B3 publicou um comunicado a anunciando a diminuição de tarifas:

“A B3 anuncia hoje um novo modelo de tarifação do mercado de ações. Um dos principais impactos se concentrará no pequeno investidor de varejo. Com as mudanças, a taxa mensal de manutenção de conta, que hoje chega a cerca de R$110 ao ano, será zerada permitindo que as corretoras ampliem a base de clientes pessoa física. A tarifa cobrada na negociação de ações na B3 também cai cerca de 10% para as pessoas físicas em geral.  

Além disso, clientes que tiverem até R$20 mil de saldo em custódia numa mesma corretora serão isentos das demais taxas de manutenção de conta, como as cobranças sobre o pagamento de proventos e valor em custódia. Esse conjunto de medidas atinge cerca de 65% da base de investidores pessoa física que hoje têm saldo em contas de renda variável na B3.”

IPCA: O IBGE divulgou nesta sexta-feira, 10/01/2020, o IPCA de dezembro de 2019, que ficou em 1,15%, puxado ainda principalmente pela alta dos preços da carne e dos combustíveis. Com isso, o índice fechou o ano de 2019 com alta de 4,31%, ligeiramente acima do centro da meta (que é de 4,25%). Para o mês de janeiro, algumas prévias já divulgadas apontam para um arrefecimento dessa alta. Contudo, até a próxima reunião do COPOM, no início de fevereiro, não haverá a divulgação do IPCA de janeiro, por isso a expectativa do mercado é de manutenção da taxa SELIC no atual patamar de 4,5%. É importante destacar que para 2020 a meta de inflação é de 4,0%, com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Já para o INPC, que é calculado com base no consumo de famílias de baixa renda, a alta foi de 4,48% em 2019.

Dólar: O dólar fechou esta sexta-feira na maior cotação desde 20 de dezembro: R$4,094 na venda. Na semana, a moeda norte-americana subiu 0,95%. As tensões geradas pelo conflito EUA-Irã colaboraram para a alta do dólar não somente ante o real, mas também sobre outras moedas de países emergentes, como o peso chileno e o rand sul-africano.

Confira também

Resumo da semana no mercado financeiro: 25 a 29/Maio de 2020

B3: A bolsa brasileira teve bom desempenho nesta semana, em linha com os mercados globais, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.