fbpx

11 perguntas que as pessoas interessantes sempre fazem para iniciar boas conversas

Ao participar de um evento de negócios evite perguntas como “o que você faz?” e “de onde você é?”
Por Marcel Schwantes *
Vá a uma festa da empresa ou evento social ou de networking e você será obrigado a ouvir o previsível “o que você faz?” e “de onde você é?”;  perguntas destinadas a salvá-lo do constrangimento do silêncio (igual aquele do elevador).
Não sei quanto a você, mas estou cansado delas. Enquanto algumas pessoas preferem a conversa fiada que não evolui para algo substancial, eu acredito que a conversa fiada tenha uma finalidade também pequena: para iniciar conversas que evoluirão naturalmente entre duas pessoas curiosas e autênticas, não receosas de torná-la mais profunda, como que descascando a cebola conversacional.
Talvez eu esteja na minoria (eu disse “pessoas autênticas”). Então vamos ampliar o assunto para mostrar que até mesmo a ciência concorda com essa idéia.
Aprofundar suas conexões sociais demanda curiosidade genuína
Todd Kashdan, da Universidade George Mason e seus colegas descobriram que as pessoas curiosas se conectam melhor. Claro e simples, as pessoas são mais facilmente atraídas e se sentem socialmente mais próximas de indivíduos que mostram curiosidade.
Em um estudo de Kashdan, pessoas foram solicitadas a terem conversas íntimas ou conversas fiadas com outros participantes que nunca haviam conhecido. Depois realmente de se envolverem nesses tipos de conversas, “as pessoas mais curiosas sentiam-se mais próximas de seu parceiro em ambas as situações, enquanto as pessoas menos curiosas não.”
Para ir aos fundamentos,  Kashdan diz: “quando você mostra curiosidade e faz perguntas, e busca algo interessante sobre outras pessoas, as pessoas se revelam mais e compartilham mais, e retribuem o favor fazendo perguntas sobre você.”
 Conversa fiada não é permitida
Alguns encontros empresariais e sociais surgiram na premissa de promover mais humanização e conexão em torno de eventos, com refeição como buffets e jantares. Uma startup baseada em Hong Kong que recebeu a imprensa tinha duas regras rígidas para seus convidados do jantar: nada de celulares e nada de conversas fiadas.
Outros grupos em todo o país (Estados Unidos) organizam jantares estilo Jefferson, no qual as pessoas se reúnem para ter uma conversa de mesa inteira; uma pessoa em um dado momento fala para a mesa inteira e claro, conversa fiada é completamente proibida.
Isso pode ser levado para a sua reunião de networking ou evento de negócios? Só à medida em que as pessoas que participem estejam dispostas a tomar a iniciativa e tornar a conversa com foco nas outras. Fator curiosidade.
Ouça! As pessoas adoram falar sobre si mesmas, se elas têm algo que vale a pena falar, que acrescente valor à conversa. Este ato altruísta de colocar o foco no outro faz de você a pessoa mais interessante da sala.
4 + 1 regras de engajamento social
Para tirar total proveito dessa ideia em termos práticos, você precisa de uma boa reserva de perguntas interessantes e envolventes que levará a conversas também interessantes e envolventes.
Certamente você não irá chegar no seu primeiro contato com a pessoa e mandar essas perguntas. Você deve ter um conjunto de perguntas para quebrar o gelo, e aí sim, seguir com essa conversa mais elaborada e produtiva.
Por isso ao traduzir o texto, senti a necessidade de incluir essa regra adicional mostrando como fazer essa abordagem inicial, a qual eu chamo de 4+1.
Antes de pular para as perguntas no final deste artigo, é importante saber sobre as quatro (mais uma) regras de engajamento:

  1. Faça suas perguntas abertas o quanto necessário para dar início a uma história intrigante.

Faça perguntas que vão trazer histórias sobre uma viagem a um país estrangeiro, uma obtenção de recursos para a realizar os sonhos de alguém, um talento especial que   possa melhorar a vida das pessoas, etc. Pergunte sobre o passado de alguém como uma forma de extrair uma história única dessa pessoa.

  1. Escolha perguntas positivas.

Evite questões políticas ou religiosas ou qualquer coisa que provoque possíveis reações negativas. Escolha perguntas que vão colocar a conversa em um tom positivo logo de cara, dando à outra pessoa a possibilidade de refletir sobre algo que a deixe feliz ou empolgada.

  1. Certifique-se de que as suas perguntas ajudam a outra pessoa a sentir-se importante.

As melhores conversas com alguém que você acaba de conhecer devem ser iniciadas pelo seu desejo de aprender sobre essa pessoa: o que elas fazem, como elas fazem o que fazem, e porque elas fazem o que fazem. Isso implica em um nível de curiosidade alto. Ao querer aprender com alguém, mesmo alguém mais jovem e menos experiente do que você, você irá causar imediatamente uma primeira impressão positiva.

  1. Escolha perguntas que irão gerar uma atmosfera.

Faça algumas perguntas despretensiosas que estabeleçam ânimo, criem o ambiente, e gerem rapport rapidamente, antes que você mergulhe em uma conversa profunda.
4+1. Inicie o contato gerando conexão.
Comece a conversa com uma saudação e se apresentando. Em seguida entregue algumas informações que gerem confiança, como por exemplo: como você veio para esse evento, que tipo de relacionamento você tem com a empresa ou organizadores, o que está achando do evento e que benefícios pode obter de estar participando.
Sugestão de abordagem que gera conexão. Use essa sequência:
– Olá. Tudo bem? Como vai? Eu sou o (a) …………… E você é…?
– Muito prazer, fulano(a). Eu sou (função) na empresa (nome da empresa). E você?
– Que ótimo! Somos clientes da empresa (promotora do evento). Estou gostando muito do evento. Está bem organizado e eu particularmente gosto de aproveitar esses momentos para me atualizar, observar e também conhecer uma visão do negócio sob outras perspectivas. E você? O que te traz aqui? O que gosta de fazer nestes tipos de evento?
A partir daí você pode prosseguir na busca de maior engajamento.
11 perguntas para iniciar conversas excepcionais

  1. Me fale sobre você.
  2. Qual é a sua história?

(As duas perguntas amplas de inicialização acima permitem que outras pessoas levem você a quem realmente são e onde querem ir na conversa.)

  1. O que absolutamente entusiasma você agora?
  2. Qual é a coisa mais importante que eu deveria saber sobre você?
  3. O que você está lendo atualmente?
  4. O que você acha que é a força motriz em sua vida?
  5. Qual foi a melhor coisa que aconteceu com você este ano/mês/semana?
  6. Se você tivesse a oportunidade de conhecer uma pessoa que você ainda não conheceu, quem seria, por que, e sobre o que você falaria com ela?
  7. Quando e onde você foi mais feliz na sua vida?
  8. Se você pudesse saber a total e absoluta verdade a uma pergunta, que pergunta seria essa?
  9. De que forma eu posso lhe ser útil neste momento?

(A última pergunta nesta lista não é um início de conversa, mas um finalizador da conversa; é reservado para quando os envolvidos se deram bem. Uma maneira certa de elevar a conversa a algo ainda mais substancial é oferecer à outra pessoa a ajuda na vida real em uma área que será mutuamente benéfica.)
Observando que todas essas perguntas tem que sair naturalmente. Não podem ser decoradas nem robotizadas! Que você tenha um ótimo papo!
 
*Tradução livre com inclusão de conteúdo pelo tradutor

decor

Leave a comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.